14 de março de 2011

Resenha: Show Rock Rocket em SJC

Resenha: Show do Rock Rocket no Hocus Pocus
data: 11/03/2011
por: Helder Miguel


Toda sexta-feira que se preza reserva boas emoções para seu público. Uma sexta-feira de evento no Hocus Pocus então, é garantia de festa.

Independente de toda e qualquer divergência de opinião, ou conflito de vaidade que é normal em uma relação humana, de qualquer nível e grau, as bandas ofereceram seu máximo para o público que compareceu ao evento para prestigiar, ou não. A organização, com toda a freqüência de um vencedor, mais uma vez realizou um evento impecável, que se contou com contratempos, eles foram muito bem solucionados, e não transpareceram em momento algum.

Casa cheia, evento lotado e temático, proporcionando belíssimas visões de gurias trajadas ao estilo “pin up cabaret”, e marmanjos com os olhos cheios. Por volta das 23 horas adentrei no espaço onde seria realizado o show, e por volta das 23h30min, a primeira banda subiu no palco.

A banda que teve o encargo de inaugurar a sexta-feira de rock foi a Alone 75, fazendo um som rápido de pegada empolgante, de fácil apreciação pelo público, e que agradou aos ouvidos dos presentes. Infelizmente, neste momento a casa ainda estava um pouco vazia, e o público observava timidamente o show dos caras.

Alone 75 abrindo o evento


Dando continuidade ao evento a banda Debutantes com frases de efeito, e um som vibrante, trouxe o público para a pista, em direção ao pogo, seja cantando uma música dedicada a boneca inflável, quinta integrante da banda, uma música que questiona o sexo de uma integrante de sua família, sua tia, ou então gritando aos sete cantos ser “o sonho de toda garota”, o quarteto jacareiense convidou todo o público que compareceu na Hocus Pocus a não pensar em nada mais do que diversão, naquele período que compreendia seu show.


Debutantes e as pin ups no palco


A organização preparou uma surpresa para os marmanjos de plantão: no meio do show garotas ao estilo pin up subiram no palco para dançar ao som dos Debutantes, que por sua vez tiraram cover dos inigualáveis Ramones. Acostumados com o palco da casa, os Debutantes mantiveram a empolgação e a interação com seu público, não deixando que ao decorrer da apresentação sua energia decaísse.


Prosseguindo com a noite, Os Skywalkers se apresentaram, tendo em seu som a pegada semelhante a das bandas que já haviam se apresentado. Um Rock’n roll repleto de frases de efeito e acordes dançantes, e com toda a certeza do mundo empolgantes, porém mais uma vez o prestígio não foi devidamente creditado e Os Skywalkers não tocaram para grande parte do público presente, que no momento do show se encontrava na parte externa da casa.

Skywalkers mandando ver


E o tão aguardado show da Rock Rocket se aproximava, o público aglomerou-se, ouvia-se pedidos frenéticos por músicas e sentia-se no ar a ansiedade.

Zerados detalhes técnicos, afinações OK, os paulistanos da Rock Rocket deram início ao Frenesi do público. Os flashs apareciam de vários lados, a pluralidade do evento proporcionava a visão de pessoas com a mão para o alto filmando, ou tirando fotos, e na pista, no meio do pogo rodando a camisa. Amontoados na grade de contenção, para o palco, entoavam cantos, ou simplesmente gritavam frases, e representando a cena do rock’n roll brasileiro, o trio convidou o público a uma felicidade incondicional.

Instigando o público ao uso da “cerveja barata” a banda transbordou energia, talvez o fato de não ter um “front side” eleve, ainda mais, o potencial de carisma da Rock rocket, que conta com a maior parte do seu vocal feita por Noel, guitarrista, mas que tem participação de Jun, baixista, e Alan o baterista. Porém acredito que 60% da energia transmitida pela banda para o público esteja em suas coreografias e na constante agitação, durante toda a apresentação Jun, baixista, alternou pulos, saltos, caretas e poses, utilizando bem o espaço de palco da casa.

Rock Rocket e seu público beberrão


Particularmente nunca fui fã voraz da banda, sempre gostei do som, adimirei o talento dos integrantes e observei o impacto de sua música nas pessoas, mas a presença de palco dos Rock Rockets, o carisma, a interação com o público do vale conquistou, ainda mais, minha admiração, e foi provocando o caos, a desordem e a anarquia, que cantei aos sete cantos do planeta estar procurando uma “Aline, a ninfomaníaca”, acredito eu que como a maioria dos homens no evento, e foi com interação, vontade e empenho que a apresentação transcorreu, houve uma pausa da banda, que a pedidos gritantes de seu público voltou ao palco para concluir o espetáculo, e a Rock Rocket ainda apresentou covers de bandas clássicas do punk rock como The Saints – Private Affair e The Jam – Slow Down.


E foi com um carimbo de sucesso que se encerrou outro evento na Hocus Pocus, com organização do Ziper Zine e Unissonância.

Parabéns as bandas Alone 75, Debutantes, Os Skywalkers e Rock Rocket. Espero poder presenciar mais eventos de tamanha maestria. E unidos fortaleceremos a cena!



Abraços,

Helder Miguel de Melo

@nerdzme


Mais fotos em nosso Flickr.

Um comentário:

lucas disse...

Cara foi realmente uma noite magica, mais uma vez o vale mostrou a força do seu rock n roll seja na maneira com recepcionou as bandas de São Paulo ou na maneira como deram forças a nós bandas da região. Um abraços aos amigos do boteco mas principalmente ao publico que torna cada vez mais fantastica nossas apresentações no Hocus Pocus